Menu

Uso do Canabidiol na população pediátrica



Os efeitos, dos derivados da maconha, vem sendo testados desde o século XIX para o tratamento de sintomas como agitação, constipação crônica, dores crônicas, convulsões entre outras alterações do Sistema Nervoso Central (SNC).

Sabe-se que existem entre 60-80 canabidioides e, dentre eles, o Canabidiol é o mais estudado até o momento. Apesar de extraído da Canabis não possui efeitos psicoativos e nem euforizantes como a planta in natura (Maconha) que é uma droga ilícita usada para fins alucinógenos devido seus efeitos psicoativos e euforizantes.

O Conselho Federal de Medicina (CFM) regulamentou o uso do Canabidiol no Brasil para tratamento de crianças e adolescentes com epilepsias refratárias ao tratamento convencional.

Esta regra VEDA a prescrição in natura para uso medicinal assim como a prescrição de quais quer outros derivados.

Descobertas recentes trouxeram a possibilidade de estudos do efeito do Canabidiol em outras áreas devido à um possível efeito neuropsiquiátrico com melhora da ansiedade, das funções sociais, stress, comunicação social, trazendo então uma possibilidade de uso no Transtorno do Espectro Autista, Esquizofrenia, Depressão Maior entre outros.

Porém, todos esses efeitos ainda são hipóteses elaboradas em modelos animais ainda sem correlação científica real para uso em humanos. Sendo assim, até o momento não há nada concreto até o momento, além do uso em em casos de Epilepsia Refratários , Quem sabe no futuro…